O Centro Social Paroquial de Freixianda (CSPF) é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), comparticipada pelo Instituto de Segurança Social, tendo como órgãos sociais: Direção e Conselho Fiscal.

Sito nas traseiras da Igreja Paroquial de Freixianda, num solar antigo, mandado construir em 1849, sendo este reconstruído para o efeito com o contributo de vários atores sociais: Igreja, Segurança Social, Município de Ourém, além da Comunidade Paroquial da Freixianda.

A Instituição surgiu para dar resposta às preocupações da freguesia, principalmente na área da ação social. O seu registo foi lavrado no livro das Fundações de Solidariedade Social, considerando-se efetuado em 18 de Agosto de 1989, sendo publicado no Diário da República, II Série, n.º 101 de 3 de Maio de 1990.

A primeira resposta a funcionar, ainda que sem instalações próprias, foi o Centro de Convívio (CC), com acordo com a Segurança Social, desde 3 de Junho de 1991. Em 1995, o CSPF já dispunha de um equipamento com as condições necessárias para implementar a resposta social de Centro de Dia (CD). Esta resposta social teve início em 1 de novembro do mesmo ano.

A resposta social de Serviço de Apoio Domiciliário (SAD) começou a funcionar, em 1996, com acordo com a Segurança Social, celebrado a 30 de Dezembro.

Em 2009, o CSPF decidiu alargar a sua ação implementando mais duas respostas: Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) e Creche. Para o efeito foi necessário proceder à ampliação do edifício, de modo a comportar o acolhimento de 45 utentes, em cada uma das respostas. Esta ampliação teve o apoio do programa PARES, para a totalidade dos lugares, em Creche e para, apenas, 21 lugares em ERPI, ficando o custo dos restantes da responsabilidade do CSPF. Para ambas as respostas foi celebrado acordo com a Segurança Social, embora não contemple a totalidade dos lugares.

Desde maio de 2012, o Centro, também, presta serviços no âmbito da resposta Cantina Social, com Acordo com a Segurança Social.

O Centro Social, tudo tem feito para que os cuidados a prestar aos seus utentes tenham a maior qualidade e prolonguem o seu bem-estar, sendo que, aquando da abertura da ERPI, celebrou contrato com um Médico, no sentido de lhes prestar apoio, diário e conta com serviço de enfermagem 24h/dia, que é extensivo a todas as respostas sociais. O quadro de pessoal integra cerca de 45 funcionários, sendo um dos principais empregadores da União de Freguesias.

Tendo, sempre, o foco nos utentes/famílias e tendo em conta as suas necessidades, a Direção do Centro Social tem em curso um pedido de alargamento da ERPI, prevendo-se a criação de 8 quartos, indo permitir acolher mais 14 utentes, bem como a criação de uma sala de fisioterapia.

Respostas Sociais